Enfim chegamos ao grande momento! Depois de muitas incertezas decorridas da pandemia de COVID-19 a Champions League voltou e nos presenteou com uma final inédita.

O contexto

2020 foi um ano atípico. Uma pandemia tomou o mundo e mudou nossas rotinas, nossas vidas, nossa forma de relacionar. Tendo todo este impacto, era impossível que não atingisse também o esporte, e o atingiu em cheio.
Jogos Olímpicos, Euro Copa, Copa América, todos adiados para 2021.

O mesmo ocorreu com a Champions League que precisou mudar toda sua formatação, para que fosse segura sua realização.

Foi escolhida Lisboa como a cidade anfitriã dos jogos por ser considerada uma cidade exemplo no combate a pandemia e os jogos deixaram de ser ida e volta para se tornar jogo único.

Nas quartas, o mundo ficou perplexo ao ver o “expresso alemão” do Bayern de Munique atropelar o gigante Barcelona por 8×2 (OITO A DOIS) e na outra chave, um milagre realizado por Neymar e cia. Quando o PSG virou o jogo contra a Atalanta (que por sinal, fez uma Champions incrível nos acréscimos).

PSG 3×0 RB Leipzig

A outra sensação da competição, o Leipizig, que nas fases finais passou por cima do Tottenham (finalista da última edição da Champions League). Depois encarou de igual pra igual o Atlético de Madrid (nada mal para um estreante). O time teve a dura missão de encarar o embalado PSG de Neymar, Mbappe e DiMaria. E os franceses não tomaram conhecimento do adversário.

Com total domínio do jogo, o PSG jogou como música, tendo Neymar como maestro. Sufocou o adversário, de forma que o Leipizig não conseguia criar tanto quanto nas últimas partidas, além de suas principais peças em campo serem completamente anuladas pela marcação dos parisienses.

Aos 11 minutos Marquinhos abriu o placar, de cabeça, em falta cobrada por DiMaria. Os franceses ampliaram ainda no primeiro tempo, com a pressão na saída de bola do Leipizig, Neymar serviu a DiMaria que não desperdiçou, 2×0 PSG.


Na etapa final o técnico Julian Nagelsmann, modificou sua equipe na tentativa de pressionar pelas laterais onde, em tese, seria o ponto fraco do PSG. Porém, sua equipe ficou muito exposta, dando margem ao contra ataque adversário.
E em uma dessas jogadas, Bernat puxou o ataque parisiense, tocou para DiMaria que cruzou para o próprio Bernat completar para dentro das redes, dando números finais à partida.

Mbappe, apesar de não ter guardado o seu, foi bastante participativo e teve boas chances, assim como Neymar, que além da assistência, mandou uma bola na trave.

Bayern de Munique 3×0 Lyon

Outro time que se destacou e muito foi o Lyon. Desde as oitavas derrubando gigante atrás de gigante. Primeiro a Juventus de Cristiano Ronaldo, depois um estrondoso 3×1 no Manchester City de Guardiola.
Só por esses feitos o Lyon já merece o respeito de quem é realmente fã de futebol, afinal, um time com um elenco enxuto e sem tanto glamour, mostrou que jogo é jogado e futebol sempre será uma caixinha de surpresas.

Mas infelizmente para os franceses, havia uma pedra no caminho. Pedra não, talvez uma montanha!

O futebol alemão, há muito tempo, é conhecido pelo futebol exemplar e com muita obediência tática. Para alguns é um futebol feio, porém não podemos negar que é um futebol eficiente.

Nos últimos 10 anos, o Bayern de Munique esteve em três finais de Champions League (se formos considerar o futebol alemão no geral seriam quatro equipes em finais com o Borussia Dortmund. Inclusive contra o próprio Bayern) apenas uma a menos que o maior campeão da competição, o Real Madrid.

O Bayern chegou ao confronto contra os franceses após um ATROPELO de 8×2 contra o Barcelona. Não, você não leu errado, OITO a DOIS. O que já é considerado maior vexame da história da Champions League moderna e que dificilmente será batido, além de uma campanha perfeita com dez vitórias em dezjogos.

Diferente do jogo do PSG x Leipizig, o Lyon teve grandes chances, mas desperdiçou todas. Criava muito no contra-ataque, mas ao mesmo tempo, se expunha na defesa e esse foi o ponto crucial.

Como diria aquele ditado popular “Não pode vacilar”. E os franceses vacilaram muito. Gnabry (o nome do jogo) driblou 3 jogadores do Lyon e soltou a pancada, abrindo o placar em um golaço logo aos 18 minutos do primeiro tempo. Após cruzamento de Perisic, Lewandowiski perdeu uma grande chance, porém no rebote, lá estava Gnabry para ampliar aos 33 minutos ainda da etapa inicial e aos 44 do segundo tempo, Lewandowski, não poderia passar em branco, dando números finais ao jogo.

Final inédita!


E pela primeira vez em sua história o PSG chega a uma final de Champions League. Um título aqui, poderia colocar tanto Neymar quanto Mbappe na disputa de melhor jogador do mundo em 2021. Porém, do outro lado estão os alemães mais “casca grossa” do futebol mundial e tudo o que podemos esperar é um espetáculo, uma partida digna entra os melhores times do momento.

Aproveite fã do esporte e escale agora mesmo na final da Champions League no SPM 365! Para tornar a disputa interessante, unimos a final da Champions League com a Europa League, ou seja, o que há de melhor no futebol mundial! Escale agora!