Não é sempre que os clubes acertam nos reforços para a nova temporada, confira cinco jogadores que foram decepção nos seus clubes em 2020.

Luan

Luan Corinthians.

Chegou no Corinthians depois de uma boa temporada com o Grêmio. Jogador foi contratado para ser a referência no meio-campo do Timão, mas foi perdendo espaço e atualmente virou a 4ª opção no setor com Mancini.

O início até empolgou, com alguns gols nos primeiros jogos, mas a torcida não sabia que o jogador iria se tornar um dos maiores problemas atualmente. Sem engrenar, foi tirado do time titular e vem recebendo pouquíssimas oportunidades com Vagner Mancini.

A situação ainda piora pelo fato do jogador receber o maior salário do elenco. O camisa 7 recebe R$ 800 mil reais mensais e foi contratado, na época, por R$ 22 milhões.

Keisuke Honda 

Honda no Botafogo

Reforço de peso, Honda chegou ao Botafogo cercado de expectativa e foi recepcionado por dez mil torcedores no aeroporto. Em campo, o meia japonês teve altos e baixos e não conseguir render o esperado.

Em novembro, ele criou polêmica ao declarar que pensava em sair do Botafogo, após a demissão de Ramón Díaz. A crise foi contornada, até que, no final de dezembro, ele solicitou a rescisão de contrato.

Honda disputou 27 jogos pelo Botafogo e marcou três gols. O contrato dele ia até o fim do Brasileirão, em fevereiro.

Eduardo Barroca

Eduardo Barroca no Botafogo.

O técnico foi apresentado como novo comandante do Botafogo em novembro de 2020 e tinha a dura missão de tirar o time da zona da degola. Em 2019, Barroca esteve a frente do Botafogo em 27 partidas, e obteve dez vitórias, três empates e 14 derrotas, aproveitamento de 41%.

A expectativa era que o técnico tivesse um desempenho superior ao apresentado no passado, porém não foi isso que aconteceu e o fogão foi rebaixado para a serie B. Um dia depois de cravar o rebaixamento, o Botafogo iniciou o planejamento de 2021 e as mudanças começaram pelo técnico. O primeiro anúncio foi a demissão de Eduardo Barroca.

Ele teve apenas uma vitória, em 12 jogos disputados. Nas outras partidas, os alvinegros perderam dez e empataram uma. O aproveitamento foi de apenas 11%. 

Michael

No Goiás o jogador foi destaque em 2019 e chamou atenção de muitos grandes clubes. O Flamengo, viu a oportunidade e contratou Michael, por 34 milhões de reais, para a temporada de 2020.

Ele não conseguiu se firmar como titular, apesar do bom começo com Jorge Jesus e, após a saída do português, o camisa 19 não teve mais oportunidades e, quando foi acionado, não deu conta do recado.

Num elenco de grandes nomes, ficou ainda mais difícil para o atacante ganhar espaço e ao todo jogou 39 partidas (porém apenas 10 como titular), fez 4 gols e deu 3 assistências, com uma média de 0,15 gol/partida.

Sidcley

O atleta teve uma breve passagem pelo Corinthians em 2018 e conquistou a torcida. Porém o destaque acabou por gerar interesse no Dínamo de Kiev pelo jogador e, junto ao Athletico-PR, detentor na época do passe do jogador, ele foi vendido ao time ucraniano.

Em 2020, o time trouxe de volta o ídolo com o status quase de titular absoluto, Sidcley era o nome ideal para a carente lateral-esquerda do Corinthians no começo do ano. No entanto, ele se apresentou acima do peso e não conseguiu recuperar a condição física, permanecendo distante do lateral de velocidade e explosão que defendeu Corinthians e Athletico-PR antes de ir atuar na Europa.

Acabou por amargar na reserva para os jovens Lucas Piton e Carlos Augusto e não conseguiu conquistar sua oportunidade no clube.

Quem você acha que foi a pior investida dos clube? Conta pra gente e não se esqueça de escalar seu time no SPM 365!