A Seleção Brasileira desde sua formação contou com grandes goleiros. Mas afinal, quem foi melhor, Taffarel na campanha do tetra ou Marcos no penta? Confira!

Taffarel

Não dá para falar em Taffarel sem, na cabeça, ouvir o grito de “Vai que é tua, Taffarel! Reconhecidamente ele é um dos maiores ídolos da história da Seleção Brasileira e, considerado por muitos, um dos melhores goleiros brasileiros de todos os tempos.

Com a seleção somou 104 jogos oficiais, além das suas participações na Seleção Olímpica e Pan-Americana. Participou de três Copas do Mundo (19901994 e 1998), sendo uma das principais peças do tetracampeonato de 1994.

Nascido em Santa Rosa (RS) no dia 8 de maio de 1966, Taffarel começou a carreira nas categorias de base do Internacional em 1985, assim que promovido para a categoria profissional, se tornou ídolo imediato da torcida e, rapidamente, se virou uma presença nacional de destaque, com sua convocação para seleção sendo praticamente exigida por toda a torcida brasileira, devido a suas grandes atuações no Inter.

Ele deixou o Internacional em 1990, tendo disputado 24 “grenais” e sem ter conquistado nenhum título.

Tafarel saiu do Brasil e foi jogar na Itália. Ficou no Parma de 90 a 93 e depois jogou no Reggina, também da Itália, de 93 a 94. Retornou ao futebol brasileiro em 1995 para jogar no Atlético Mineiro, clube na qual defendeu até 1998. Foi para o Galatasaray, ainda em 98, onde permaneceu até 2001 e depois retornou ao Parma, onde permaneceu até 2003. 

Defesa de pênaltis

E aí? Já escalou seu time no SPM 365? Acesse e concorra prêmios em dinheiro.

O goleiro sempre se destacou pela sua habilidade em defender pênaltis. Ainda no Mundial sub-20, em 1985. Ele defendeu um pênalti no tempo normal na semifinal contra a Nigéria, garantindo a vitória por 2 a 0 ao Brasil. Em seguida nas Olimpíadas de Seul voltou a ser destaque por defender três pênaltis na semifinal contra a Alemanha.

Na Copa do Mundo de 1998 na França, Taffarel mostrou ao mundo que era mesmo o maior pegador de pênaltis de sua época. Fechou o gol na semifinal contra a Holanda, acertou o canto nas quatro cobranças e defendeu duas, garantindo a vitória ao Brasil por 4 a 2 e levando o país a sua segunda final de Copa do Mundo consecutiva.

Marcos

É difícil encontrar no Brasil algum torcedor que não tenha um carinho especial pelo carismático ex-goleiro do Verdão e seleção brasileira.

Nascido na cidade de Oriente-SP, em 4 de agosto de 1973, Marcos começou no futebol no Lençoense, time do município de Lençóis Paulista, interior do estado de São Paulo. Permaneceu no time de 1990 a 1992, quando foi contratado pelo Palmeiras.

Com poucos meses de casa, faturou o título paulista sub-20 e logo estreou pelo time principal, em 16 de maio de 1992, com apenas 18 anos. Depois desse jogo, Marcos continuou como o terceiro goleiro da equipe e só voltou a atuar novamente em 1996, quando já era o reserva imediato da posição, permanecendo nesta condição até 1999.

Após uma contusão de Velloso, goleiro principal do Palmeiras, Marcos assumiu a posição durante a disputa da Copa Libertadores, pegou pênaltis, operou diversos milagres e não saiu mais do time. Foi o principal jogador do Verdão na inédita conquista sul-americana, inclusive sendo o primeiro goleiro na história eleito como o melhor da competição.

Foi convocado por Luiz Felipe Scolari para a Copa do Mundo de 2002. O goleiro fez defesas importantíssimas durante o torneio e foi o único jogador da Seleção a não ser substituído em toda a competição. Na final, contra a Alemanha, teve um desempenho brilhante, ajudando a garantir o pentacampeonato mundial do Brasil.

Devoção ao clube

Em tempos em que atuar na Europa virou quase uma obsessão dos jogadores brasileiros, os 20 anos de dedicação exclusiva ao Palmeiras fez dele o grande ídolo da torcida.

No mesmo ano da consagração, Marcos viu seu time ser rebaixado para a Série B do Campeonato Brasileiro, o jogador recebeu proposta para atuar pelo Arsenal, da Inglaterra, mas sua paixão pelo Verdão não o deixou concretizar a transferência, permanecendo no Parque Antártica e querendo levar o Palmeiras de volta à primeira divisão do Nacional.

No ano seguinte foi peça importante para o retorno do Palmeiras a elite do futebol Brasileiro e conquistou a Campeonato Brasileiro Serie B.

E aí, para você qual é o melhor?