O tricolor gaúcho venceu a partida de volta de virada e garantiu a vaga entre os 4 melhores clubes da América em 2019.

Depois de começar com mais volume de jogo, o time do Palmeiras abriu o marcador aos 13 minutos do primeiro tempo. Em jogada aérea, Paulo Victor afastou mal; a bola caiu nos pés de Luiz Adriano que dominou e marcou o seu primeiro tento pelo clube.

Tudo parecia caminhar bem para o Palmeiras, mas a alegria não durou por muito tempo.

Aos 18′, Everton quase sem ângulo finalizou para marcar o empate do Grêmio. Jean Pyerre cruzou na área e o atacante passou por trás da zaga, livre de marcação, para empurrar para o gol.

Aos 22′, Everton deu uma brilhante arrancada e deixou 5 defensores para trás. Quando dividiu com Weverton, a bola sobrou para Alisson, que só teve o trabalho de empurrar para o gol vazio. Virada gremista e, com o critério do gol qualificado, o Palmeiras precisava de mais um gol para não ser eliminado.

Palmeiras sem capricho

Com um elenco que é tido como o mais sólido do futebol brasileiro, o Palmeiras definitivamente não apresentou um futebol que fizesse jus a esse título. Depois de levar a virada, o time tentou retomar o ritmo dos minutos iniciais, mas faltou pontaria e criatividade.

Ainda no primeiro tempo, Willian Bigode perdeu duas chances de mudar o placar: na primeira delas, o atacante, num chute de primeira, carimbou a trave direita de Paulo Victor; na segunda, o goleiro não cortou o cruzamento, mas Willian não estava preparado para dominar a bola. Ela bateu em seu pé quando o goleiro do Grêmio já estava vendido no lance, mas saiu à esquerda da meta.

Com o placar favorável, naturalmente o Grêmio adotou uma postura mais recuada, mas os palmeirenses não souberam fazer bom uso da posse de bola para criar chances reais de gol.

Mesmo com 60,31% de bola no pé segundo tempo, o Palmeiras não conseguiu explorar a qualidade dos seus jogadores para ser efetivo e mostrou um futebol pobre com relação ao resto da temporada.

Com uma defesa bem postada e com um Geromel inspirado (foram 17 bolas rebatidas pelo zagueiro!), o Grêmio não deixou o rival criar e o Palmeiras não teve alternativa a não ser jogar pelo alto.

Foram muitos cruzamentos e lançamentos, mas sem sucesso. Nesses dois fundamentos, inclusive, o Palmeiras acertou apenas 7 e errou 18 de cada um – aproveitamento de apenas 28%.

Para dar um toque de drama aos minutos finais, ainda houve uma revisão recomendada pelo VAR devido suspeita de toque de mão do volante gremista Rômulo, mas o árbitro Nestor Pitana entendeu que não teve irregularidade no lance.

Confira as estatísticas completas da partida:

Cadastre-se grátis no SPM365