O percurso foi longo, mas agora o Rubro Negro está na final, representando o futebol brasileiro no Mundial de Clubes. A partida ocorrerá sábado, às 14:30, para decidir o maior clube do mundo.

Depois de se sagrar bicampeão da maior competição entre clubes de futebol da América e vencer o Al-Hilal por 3×1, o Flamengo segue para a final do Mundial de Clubes e joga contra o campeão europeu Liverpool.

Libertadores

Na Libertadores, o clube carioca começou no Grupo D e seus adversários foram: Peñarol, LDU e San José. Apesar de empatar no número de pontos com LDU e Peñaro (todos conquistaram 10), o rubro negro se classificou para oitavas em primeiro lugar por causa do maior saldo de gols.

Oitavas de final

Nas oitavas, enfrentou o Emelec e venceu nos pênaltis. Após uma derrota de 2×0 no Equador, o rubro negro devolveu o placar no Maracanã. Diego Alves pegou a cobrança de Dixon Arroyo e Queiroz acertou o travessão. 4×2 e festa no Maracanã.

Quartas de final

O adversário foi o Internacional, de Porto Alegre. O Flamengo fez o dever de casa e venceu a partida de ida por 2×0. Na volta, o colorado se lançou ao ataque e abriu o placar aos 61′.

Na pressão até o fim do jogo, o Inter se descuidou na defesa e Bruno Henrique, em belo contra ataque aos 84′, colocou Gabigol em condições de marcar. 1×1 e uma ducha de água fria na torcida gaúcha, que ainda acreditava em uma vitória nas penalidade. Placar agregado: 3×1.

Semifinal

Contra o Grêmio, outro time porto-alegrense, o jogo de ida ficou empatado em 1×1 e o jogo da volta foi uma das maiores atuações dos comandados de Jorge Jesus na temporada.

O Grêmio teve a primeira chance real de gol com Everton Cebolinha, mas depois disso só deu Flamengo. Depois de algumas chances desperdiçadas na primeira etapa, Bruno Henrique – em mais um contra ataque – passou para de Gabigol, que chutou cruzado. Na sobra, o próprio BH cuidou de empurrar para o gol e inaugurar o marcador.

Ainda na primeira etapa, Gabigol acertou um petardo no ângulo esquerdo de Paulo Vitor e ampliou a vantagem. Para fechar o espetáculo, Gabigol fez mais de pênalti e a dupla de zaga, Pablo de Marí e Rodrigo Caio, fizeram de cabeça.

Da próxima vez, Renato Gaúcho vai pensar duas vezes antes de dizer que seu time tem o melhor futebol do país.

A grande final

Pela primeira vez na história a Copa Libertadores da América teve uma final com apenas uma partida para definir o campeão das Américas. O Flamengo enfrentou o clube argentino River Plate e, depois de uma virada, emocionante e a poucos minutos do fim do jogo, levou o troféu pra casa.

O River vencia por 1×0 até que a estrela de Gabigol brilhou e o jovem goleador anotou 2 tentos em 3 minutos e garantiu o título para o clube da gávea.

O grande responsável pelo sucesso do Flamengo este ano foi Jorge Jesus . O treinador português trouxe um novo ímpeto para a equipe e soube aproveitar muito melhor as características de seus jogadores.

Para ilustrar a mudança, basta observar os números do clube. No Brasileirão com Abel, o Flamengo tinha:

  • Média 53,9% de posse de bola;
  • 644 passes trocados por partida, com 82,3% de acerto;
  • 12,4 oportunidades de gols criadas por partida;
  • 16,3 finalizações, sendo em média, 5,8 delas no alvo e
  • 46,7 bolas recuperadas.

Com a entrada do português, os números tiveram um pequeno aumento:

  • A posse de bola subiu para 59,9%;
  • os passes trocados subiram para 674 com 84,8% de aproveitamento
  • finalizações diminuíram para 15,5, mas subiu para 6,4 o número de chutes certos
  • bolas recuperadas subiram pra 49,2.

O treinador é adepto de um estilo de jogo intenso, que privilegia a troca de passes em velocidade e a marcação alta para impedir que o adversário avance com tranquilidade. Com pouco tempo, Jorge Jesus mudou a cara do Flamengo e o aproveitamento do time subiu absurdamente – não à toa, o Flamengo foi campeão brasileiro quebrando vários recordes.

Individualmente, o time evoluiu também. O meia Arrascaeta, pouco prestigiado pelo antigo treinador se tornou titular e ajudou a montar uma linha de frente imbatível, juntamente com Bruno Henrique e Gabigol. Willian Arão, que foi bastante criticado pela torcida, reencontrou seu bom futebol e hoje é bastante elogiado. Gerson, reforço trazido por JJ, também tem brilhado no meio do Flamengo e enchido os olhos da torcida.

Mundial

Na primeira partida, o Flamengo enfrentou o Al-Hilal e além de sair perdendo, fez um primeiro tempo sofrido e apagado. No intervalo, Jorge Jesus conseguiu acalmar seu time e, na etapa complementar, vimos o Flamengo atuar da forma esperada.

De virada – feito inédito em uma semifinal do mundial para futebol brasileiro – e com gols de Arrascaeta, BH e um contra, o Flamengo venceu por 3×1 e se garantiu na final.

No sábado, o time da Gávea tem o seu maior desafio da temporada: o poderoso Liverpool de Salah, Mané, Alisson, Keitá e companhia, campeão da Champions League e que venceu o Monterrey ontem, por 2×1.

Vai torcer para o Flamengo na final? Não deixe de fazer sua escalação no Sport Manager 365!