O Brasileirão é sempre uma caixa de surpresas. No texto de hoje, confira os times que foram, segundo a nossa redação, o destaque, a surpresa e a decepção na competição desse ano.

Decepção: Cruzeiro

Este ano de 2019 está marcado como o pior da história do clube mineiro que pela primeira vez vai jogar a segunda divisão do campeonato nacional.

Uma sucessão de erros tanto administrativos quanto por parte dos jogadores fizeram do Cruzeiro o time que decepcionou o Brasil no Brasileirão 2019.

O ano começou bem, o título no campeonato mineiro mostrava bons indicativos de que a equipe celeste teria mais um ano vitorioso. A boa primeira fase da libertadores parecia confirmar este fato mas parece que a chave virou na derrota para o Emelec por 2×1 em pleno Mineirão.

O time mineiro já havia perdido para o Flamengo por 3×1 na estréia do Brasileirão, mas a partir desta derrota o time mergulhou em uma crise sem precedentes.

O excesso na troca de comando (cinco vezes: Mano Menezes, Ricardo Resende como interino, Rogério Ceni, Abel Braga e Adilson Batista) além da panela formada por jogadores experientes que quando acionados não decidiram.

O Cruzeiro terminou o ano em 17º colocado com: 7 vitórias, 15 empates e 16 derrotas com um deficit de -34 gols na contagem final.

Surpresa: Fortaleza

A surpresa do Brasileirão, foi o clube cearense Fortaleza. A equipe teve um desempenho muito bom no campeonato, especialmente no segundo turno. 

Após a conquista do título da série B, o Fortaleza subiu para a elite do futebol brasileiro e depois de um primeiro turno conturbado, se consolidou no segundo possuindo a 8ª melhor campanha da segunda fase da competição. 

Nas últimas 15 partidas, o clube teve 8 vitórias, 4 empates e apenas 3 derrotas, com esta campanha garantiu a 9ª colocação, e consequentemente a classificação para a Copa Sul Americana. 

O sonho da Libertadores não ficou muito distante, já que como Flamengo, campeão do Brasileirão, foi também campeão da Libertadores e o Athletico-PR, campeão da Copa do Brasil, ficou na 4ª posição, a zona de classificação se ampliou até o 8º lugar. 

Para além do Brasileirão, nos campeonatos regionais o clube também apresentou um bom desempenho, se sagrou campeão da Copa Nordeste e do Campeonato Cearense. 

A equipe marcou 50 gols durante os 38 jogos, dos quais 13 foram do atacante Wellington Paulista. A marca deixou o jogador como o quinto maior marcador da competição, empatado com Giorgian De Arrascaeta, do Flamengo e Everaldo Stum da Chapecoense. Vale ressaltar que o jogador finalizou 61 (!!!) durante o campeonato e foi um dos responsáveis pelo bom desempenho em 2019. 

Outro destaque foi o goleiro Felipe Alves, o atleta foi responsável por fechar as redes do Fortaleza e salvou a equipe em muitos momentos, como na partida contra o Atlético-MG em 21 de julho.

O árbitro sinalizou pênalti para a equipe mineira, Alerrandro cobrou e Felipe pegou. Após rever o lance, o juiz entendeu que o goleiro havia adiantado e mandou voltar a cobrança, quem bateu dessa vez foi Luan e o goleiro em uma atuação brilhante pegou novamente.

Além dos jogadores, quem também fez uma boa campanha no time foi o responsável pelo comando, Rogério Ceni. O treinador não foi apenas o técnico,  acompanhou todas as categorias de base do clube e comandou o time nos treinos e jogos. O Rogério tem autonomia como treinador, com os títulos conquistados, e como jogador tem muita história, por isso fez história e ajudou a alavancar o time. 

Agora nos resta esperar o que 2020 reserva para o Fortaleza, ao que tudo indica evolução e quem sabe uma vaga na Libertadores. 

Destaque: Flamengo

O Flamengo de 2019 dispensa apresentações. O time de Jorge Jesus só não fez chover em campo durante o Brasileirão desse ano e conquistou o troféu com bastante propriedade.

Não há discussão quanto à qualidade e obediência tática que os jogadores rubro negros mostraram desde que o treinador português assumiu o comando na Gávea.

O Mister chegou ao Flamengo durante a parada para a Copa América e desde os primeiros jogos, quando o Brasileirão retornou, foi possível observar como a identidade da equipe havia mudado.

O sucesso fica ainda mais evidente pela quantidade de atletas do Flamengo que receberam a Bola de Prata, prêmio entregue aos destaques do campeonato. Diego Alves, Rafinha, Willian Arão, Gerson, Arrascaeta, Bruno Henrique e Gabigol foram os premiados e o rubro negro estabeleceu mais um recorde ao ter 7 atletas na seleção do Brasileirão.

Vale falar que depois da chegada de Jorge Jesus alguns jogadores mudaram da água para o vinho. Arão reencontrou seu bom futebol e virou xodó da torcida; Arrascaeta, que foi até reserva com Abel, teve ótimas atuações sob o comando de JJ e foi o líder de assistências do campeonato;

Mais alguns números dessa impressionante campanha:

  • Aproveitamento em casa: 92,98% (17V e 2E), enquanto Santos (2º na estatística) teve 80,70%
  • Aproveitamento fora: 64,91% (11V, 4E e 4D)
  • 90 pontos e 86 gols marcados: recordes do brasileiro com 20 clubes
  • Não sofreu gol em 14 partidas e 11 delas com JJ no comando
  • Ataque passou em branco em somente 4 jogos
  • 23 rodadas na liderança
  • recorde de pontos do formato atual
  • 8 vitória seguidas (recorde igual ao do cruzeiro de 2003 e 2013)

O Brasileirão acabou, mas no Sport Manager 365 temos futebol o ano todo! Escale seu time nos campeonatos europeus!

Cadastre-se grátis no SPM365