A seleção italiana campeã da última edição da Eurocopa chamou a atenção por um fato curioso: Dos 23 jogadores dos quais constituiam seu elenco 3 eram brasileiros. O SPM 365 preparou uma inusitada lista de jogadores naturalizados que defenderam as cores de outras seleções pelo mundo e muitos nem faziamos idéia.

A história da naturalização de jogadores

A naturalização de jogadores de futebol, apesar de comum, é um assunto controverso. O próprio treinador italiano Roberto Mancini chegou a dizer que somente italianos deveriam vestir a camisa da azzurra e mal sabia ele que os brasileiros seriam fundamentais na conquista da Eurocopa 2020.

O processo se tornou comum lá no começo do século XX, quando nações nasciam e desapareciam a todo momento devido a política da época, além do grande período de migrações dada as duas grandes guerras.

Um caso muito famoso é do mítico jogador Ferenc Puskás (o mesmo que deu o nome ao prêmio de gol mais bonito da temporada) que devido a revolução húngara de 1956, viu seu país ser banido das competições oficiais da FIFA, até que a situação voltasse ao normal no país.

Como tal fato demorou para ocorrer, vários grandes craques da mítica seleção húngara se espalharam pela Europa e com Puskás não foi diferente, se estabelecendo e naturalizando espanhol. Chegando a disputar a copa de 1962, sendo eliminada pelo Brasil de Pelé, por 2×1.

Outro caso interessante e curioso é do argentino Alfredo Di Stefano, um dos maiores ídolos da história do Real Madrid.
Don Alfredo, como era conhecido, disputou apenas seis partidas pela sua seleção natal, a Argentina. E essas partidas se decorreram pelo Campeonato Sul-Americano de 1947 (o que viria a ser a Copa América hoje em dia).

Devido a conflitos entre a CDB, pois o próprio Julles Rimet, presidente da FIFA na época, havia prometido que a Copa do Mundo de 1950 seria sediada na Argentina, os hermanos decidiram não participar da competição.

Di Stefano então rumou para a Colômbia que, adivinhem só, também estava suspensa de participar da Copa do Mundo devido a participação em uma “Liga Pirata” não aprovada pela FIFA.

Sendo assim, Di Stefano foi convidado para defender as cores da seleção da Espanha, onde era ídolo devida a meteórica passagem pelo Real Madrid, porém, com a camisa da Furia o lendário jogador não conquistou nenhum título expressivo.

Jogadores naturalizados pelo mundo

Agora vamos listar jogadores que jogam (ou jogaram) em seleções pelo mundo que são naturalizados e alguns são surpreendentes!

Vale lembrar que citaremos jogadores que nasceram em países diferentes e emigraram para suas respectivas seleções. Não vamos citar casos como o do alemão Mezut Özil que é filho de turcos porém nasceu na Alemanhã, ok!?

Alemanha:

  • Miroslav Klose: O maior artilheiro em Copas do Mundo da seleção alemã nasceu na Polônia e migrou com 8 anos para Alemanhã.
  • Cacau: Claudemir Jerônimo Barreto, o Cacau, defendeu a seleção alemã no período de 2009 a 2012. Cacau até hoje tem uma legião de fãs após levar o Stuttgart ao título nacional em 2009.

Espanha:

  • Thiago Alcântara: A história de Thiago Alcântara talvez seja uma das mais curiosas desta lista. O maio campista é filho de Mazinho (campeão da Copa do Mundo de 1994 pela seleção brasileira) com a ex jogadora de vôlei Valéria Alcântara. Thiago, que tem descendência brasileira, nasceu na Itália porém é jogador naturalizado espanhol.
  • Diego Costa: O caso do sergipanp Diego Costa também é curioso. O jogador chegou a defender a seleção brasileira em duas oportunidades em 2013, em uma partida contra a Rússia e outra contra a Itália. Logo depois, o jogador brasileiro declarou seu desejo de defender a seleção espanhola e foi naturalizado. Contrariando a vontade da CBF, a FIFA permitiu a troca pois considerou os amistosos jogos não oficiais.
  • Rodrigo: Este é o caso de um jogador que nasceu e saiu do Brasil muito jovem. Rodrigo jogou na base do Flamengo apenas por 1 ano. Logo depois já foi transferido para a Espanha, onde contruiu toda a sua carreira, sendo lá natualizado.
Diego_costa

França:

  • Samuel Umtiti: O zagueiro campeão do mundo pela seleção da França é de origem Camaronesa, foi mais um dos jogadores naturalizados.

Holanda:

  • Edgar Davids: Um dos jogadores mais icônicos dos anos 90/2000 (muito lembrado por jogar com um óculos especial para glaucoma) é nascido no “esquecido” Suriname. Um pequeno país na América do Sul, porém logo aos 17 anos se mudou com a família para a Holanda, onde começou sua carreira aos 17 anos no Ajax e o resto é história.
  • Clarence Seedorf: A exemplo de Davids, Seedorf também é nascido no Suriname. (Diga-se de passagem, se o Suriname montasse uma seleção teria; Davids, Seedorf, Winter e Hasselbaink o que faria dela uma potência sulamericana). Seedorf foi contemporâneo de Davids naquele monstruoso Ajax do começo dos anos 90 e é considerado um dos maiores meio campistas da história.
Davids

Itália:

  • Jorginho: Um dos maiores meio campistas da Europa na atualizade, Jorginho mal jogou no Brasil, país em que nasceu. Logo cedo foi descoberto por olheiros do Verona e já rumou para a terra da bota. Hoje o jogador naturalizado é peça fundamental da seleção azurra.
  • Emerson: Revelado pelo Santos em 2011, Emerson fez parte da grande geração de Neymar e cia. Porém seu desejo era sair do país e jogar na Europa. Com muito talento chegou ao Chelsea em 2018, onde foi campeão da Liga Europa e da Champions League.
  • Rafael Tolói: Formado nas categorias de base do Goias, Rafael Tolói foi comprado pelo São Paulo em 2012 onde começou a chamar a atenção. Porém a má fase tricolor na época atrapalhou e muito o seu futebol. Foi emprestado para a Roma e logo em seguida vendido para a Atalanta, onde joga até hoje.
  • Mauro Camoranesi: Nascido em Buenos Aires, Camoranesi era um volante clássico, com habilidade e muita agressividade. Chegou a Itália nos anos 2000, mas foi em 2002 quando foi para a Juventus que o seu futebol realmente chamou a atenção do mundo. Graças as suas grandes atuações, foi convidado para defender a azurra onde foi campeão mundial em 2006 e virou um jogador naturalizado.
Jorginho

Portugal:

  • Deco: Um ídolo com a camisa lusitana, Deco chegou aos 20 anos em Portugal e logo chamou a atenção pelo seu grande futebol. Curiosamente, o seu gol de estréia foi justamente em uma partida contra o Brasil.
  • Pepe: Nascido em Maceió, é outro ídolo português, Pepe é sempre lembrado pela sua forma dura de jogar. Chegou bem cedo ao país e com pouco dinheiro correu atrás do sonho de ser jogador de futebol e hoje é um jogador naturalizado português e tem uma carreira multi-campeã.
  • Liédson: Nascido na Bahia, talvez não seja tão reconhecido como os jogadores anteriores. Liédson teve momentos importantes com a camisa portuguesa, como quando marcou o gol que colocou Portugal nos play-offs para a copa de 2010 na África do Sul.
pepe

Menções honrosas

Não podemos deixar passar alguns casos de jogadores estrangeiros que jogaram pelo Brasil.

  • Sidney Pullen: Entre os anos de 1916 e 1917, o inglês natural de Southampton participou de 5 jogos não oficiais pela seleção. Como o futebol estava chegando ao Brasil, era normal ter estrangeiros praticando o esporte por aqui.
  • Casemiro do Amaral: O goleiro portugues é contemporâneo de Pullen e participou de 6 jogos oficiais com a amarelinha.
  • Francisco Police: Também jogador de meados de 1918, o italiano Police era meia. Fez apenas um jogo e defendia as cores do Botafogo-RJ.
  • Russo: Pasmem meus queridos, um argentino já vestiu a amarelinha. Em 1942 Adolpho Milman, conhecido como Russo, foi um jogador de origem judáico-ucraniana que defendeu a seleção brasileira em uma oportunidade.
  • Andreas Pereira: O caso mais recente de todos. Andreas Pereira nasceu na Bélgica, filho de país brasileiros, chegou a defender as seleções de base da Bélgica, porém não escondia sua vontade de vestir a camisa amarela e em 2018 teve sua primeira e única oportunidade.
  • Gabriel Kazu: É muito comum ter jogadores brasileiros defendendo a seleção japonesa, mas neste caso a história se inverteu. Gabriel foi convocado para defender a seleção sub-20
  • Marcelo Moreno: Não, você não leu errado. O boliviano Marcelo Moreno que atualmente joga pelo Cruzeiro na segunda divisão do campeonato brasileiro defendeu a seleção canarinho nas categorias de base. Do sub-17 ao sub-20, moreno chegou a realizar 15 jogos.

marcelo_moreno

É claro que não da pra listar todos e muitos nomes legais vão ficar de fora desta lista. Então, pedimos para que você comente quais você lembra que não poderiam jamais serem esquecidos!

Quem você acha que faltou na nossa lista de jogadores natualizados? Comente aqui!

Pra você que ama futebol chegou a hora de faturar uma grana com todos os seus conhecimentos! Escale agora no SPM 365, monte sua equipe campeã e fature prêmios em dinheito!