Ontem tivemos as semifinais do campeonato mineiro e um clássico no campeonato paulista. Confira um pouco mais sobre as partidas.

O Atlético-MG enfrentou a Tombense e venceu por 3×0, deixando o caminho para a final um pouco mais tranquilo. Já na partida entre América-MG e Cruzeiro, mesmo jogando em casa e com primeiro tempo muito forte, a raposa não segurou o América-MG e levou a virada por 2×1. No clássico paulista o tricolor saiu na frente, levou a virada e conseguiu o empate no último minuto com gol de pênalti.

Tombense 0 x 3 Atlético-MG

Pensando na Libertadores, Cuca escalou uma equipe mista para a primeira partida contra o Tombense. O Galo teve um início intenso, acelerou as jogadas e pressionou o adversário. Com dificuldade na saída de bola pela marcação pressão alvinegra e menos campo para jogar, o Carcará ficou acuado e sofreu bastante.

Com um time claramente superior tecnicamente, o Galo tomou conta da partida e não demorou a chegar ao gol. Aos 15 minutos a defesa do Tombense vacilou na saída de bola e Hulk ficou com o domínio. O atacante tocou para o meia Hyoran, que se livrou da marcação e bateu bem para vencer o goleiro Felipe Garcia.

O Atlético-MG continuou mandando no confronto, e ampliou seis minutos depois. Hulk sofreu pênalti de Manoel, e o lateral Guga cobrou muito bem para deixar o seu. Com a vantagem de 2 a 0, a equipe do técnico Cuca diminuiu a intensidade, e só conseguiu chegar ao terceiro gol na etapa final. Aos 16 minutos Hulk soltou uma bomba para marcar um golaço.

O Tombense ainda teve a oportunidade de descontar aos 29′, mas o goleiro Matheus Mendes (que havia acabado de entrar no lugar do goleiro Everson, que foi expulso por cometer a infração) defendeu a cobrança do atacante Keké. Placar final, Tombense 0, Atlético-MG 3.

Cruzeiro 1 x 2 América-MG

Querendo mostrar força em casa, o Cruzeiro iniciou a partida com marcação muito forte e dificultando a saída de bola do América-MG. O primeiro tempo exigiu bastante do goleiro Matheus Cavichioli, que respondeu bem e mostrou segurança.

A partida começou a ficar mais nervosa  nos quinze minutos finais do primeiro tempo, mas o árbitro da partida conseguiu segurar os ânimos dos jogadores e dos treinadores, que gritavam muito do banco de reservas. Quando os visitantes tinham seu melhor momento, o Cruzeiro conseguiu balançar as redes com Rafael Sobis. O camisa 10 recebeu passe de Bruno José e abriu o placar para os donos da casa.

O lance foi anulado por impedimento, mas a revisão do VAR mostrou que Sobis estava em posição legal, revertendo a decisão do campo. Ao final da primeira metade, Lisca reclamou muito com a arbitragem, questionando a decisão. As reclamações renderam um cartão amarelo ao treinador, que está fora do próximo jogo da semifinal.

Para o segundo tempo, Lisca preparou uma equipe mais agressiva e que logo ameaçou o gol defendido por Fábio. Aos 10 minutos, Rodolfo José aproveitou bom passe de Felipe Azevedo, mas acertou a trave do goleiro. Três minutos depois, a Raposa teve novo gol anulado pelo VAR, dessa vez de Airton.

Jogando melhor, o América dominou e chegou ao empate aos 40′, com Alê. O camisa 11 aproveitou boa cobrança de escanteio de Leandro Carvalho e desviou de cabeça, por cima de Fábio. Quatro minutos depois, a virada do América veio dos pés de Ademir, que tinha acabado de entrar. Ele recebeu mais uma ótima assistência de Leandro Carvalho e venceu o goleiro do Cruzeiro.

As duas equipes volta a se enfrentar no próximo domingo, agora no Independência para decidir quem segue na competição pelo título.

Corinthians 2 x 2 São Paulo

O jogo começou bastante disputado, com o meio de campo congestionado. As duas equipes tinham dificuldade para criar. Enquanto o Corinthians insistia em jogadas pelo lado direito, o São Paulo optou por uma postura mais defensiva. O gol, então, veio em um lance de bola parada, numa falha defensiva do Corinthians. Aos 14 minutos, Igor Gomes cobrou escanteio para Miranda, sozinho, cabecear no canto do gol de Cássio.

Em vantagem, o São Paulo recuou um pouco mais a marcação, à espera de espaços para sair no contra-ataque. A estratégia era tentar forçar o erro do adversário. O Corinthians até tinha campo de jogo, mas falhava na armação das jogadas.

O tricolor no entanto, acabou vacilando em uma cobrança rápida de lateral de Piton para Ramiro, aos 40. O volante deu leve toque para Luan bater de primeira e fazer um golaço, no ângulo de Tiago Volpi.

Luan não fazia uma boa partida até o gol e passou a ser o protagonista do jogo. No segundo tempo, aos 9′, o meia teve a chance de se consagrar, mas desperdiçou grande oportunidade de virar o placar. Sem marcação, de frente para o gol na linha da pequena área, o jogador mandou a bola para fora.

Mas, na base da disposição, o meia ajudou o Corinthians a chegar ao segundo gol. Aos 39′, após bola recuperada no meio de campo, Fagner foi acionado na linha de fundo por Luan e cruzou rasteiro para Gustavo Mosquito marcar. Quando a vitória parecia certa, João Victor derrubou Pablo na área. Na cobrança do pênalti, aos 50 minutos, Luciano deixou tudo igual.

Quem você acha que leva a melhor no Paulista? e no Mineiro? Conta pra gente!

Gif SPM 365 
Escale e fature prêmios