Os campeonatos estaduais já estão chegando na reta final. Confira o resultado das primeiras partidas da final do mineiro e carioca e das semifinais do paulista.

Em Minas Gerais Atlético e América empataram sem gols, o Galo joga pelo empate, por ter a melhor campanha, enquanto o América precisa vencer para conquistar o título. No Rio de Janeiro o clássico Fla-flu terminou em empate em 1×1 em um jogo de muitas faltas e cartões. Já no campeonato paulista, São Paulo e Palmeiras conseguiram a classificação e disputam a primeira rodada da final semana que vem.

América-MG 0 x 0 Atlético-MG

O primeiro jogo da final foi equilibrado, com um Atlético-MG melhor no primeiro tempo pelas chances claras no ataque, e o América-MG melhorando na segunda etapa, dando sustos na defensiva alvinegra.

Aos 18 minutos do primeiro tempo, Nacho Fernández chutou rasteiro. Anderson salvou o América-MG no primeiro lance. No rebote, Hulk chutou de direita e o goleiro americano fez defesa importantíssima.

Aos 5 minutos do segundo tempo, Marlon cruzou a bola direto para o gol, e o goleiro Éverson pulou para espalmar. No rebote, Bruno Nazário chutou forte de fora da área, e o goleiro do Galo fez defesa importante.

Após o apito final do árbitro Wanderson Alves de Souza houve uma discussão entre atletas do Atlético-MG e América-MG, envolvendo até o árbitro. Os atleticanos reclamaram da arbitragem e de o dono do apito ter acabado a partida antes da cobrança de uma falta a favor do Galo.

Fluminense 1 x 1 Flamengo

A primeira partida da final do Campeonato Carioca entre Fluminense e Flamengo terminou empatada em 1×1. Com gols de Gabigol, de pênalti no primeiro tempo, e Abel Hernández, de cabeça no segundo, a decisão do Estadual está aberta. 

O Flamengo foi mais dominante durante boa parte do jogo. Com o domínio das ações, conseguiu ameaçar em lance de Bruno Henrique, até que o juiz marcou pênalti em Gerson com o auxílio do VAR. Gabriel foi para a cobrança e, como de costume, converteu. O Rubro-Negro continuou sendo o senhor do jogo e ameaçou ainda com Arrascaeta e o próprio Gabigol. Do lado Tricolor, a principal oportunidade foi com Kayky.

O time tricolor esteve melhor na etapa final e, com o passar do jogo, passou a ter as melhores chances. Apostando na bola aérea, o Flu conseguiu chegar ao empate após boa bola levantada de Egídio para Luiz Henrique, que encontrou Abel Hernández livre para cabecear. O próprio Luiz Henrique ainda teve outra grande oportunidade, mas errou o chute cara a cara com Gabriel Batista.

O principal destaque da partida ficou por conta do jogo pegado que teve nove cartões amarelos, além de 41 faltas cometidas.

Corinthians 0 x 2 Palmeiras

Depois de quase eliminado na fase de grupos, o Palmeiras se classificou para a final do Campeonato Paulista. Com seu time titular em campo, o Verdão teve uma atuação bastante sólida para vencer o arquirrival Corinthians por 2×0, na Neo Química Arena, e continuar na briga pelo bicampeonato. 

O Corinthians até tentou pressionar o Palmeiras, mas a maior qualidade técnica do Verdão foi determinante no primeiro tempo. A equipe de Abel Ferreira soube explorar muito bem os espaços dados com a tentativa do Timão de ser mais ofensivo. O perigoso chute de Luan, à direita de Weverton, foi o melhor que os corintianos conseguiram. Aos 11, após jogada rápida pela direita, Rony finalizou rasteiro na área, Cássio deu rebote, e Victor Luis só completou para abrir o placar.

Mancini colocou Mosquito e Mateus Vital no segundo tempo, mas as trocas não surtiram muito efeito. Logo no primeiro minuto, Rony teve boa chance ao bater para fora. O Timão em nenhum momento demonstrou força para sequer assustar o rival.

O Palmeiras continuou bem posicionado atrás e muito perigoso nas saídas rápidas. Aos 30, o lance decisivo. Luiz Adriano tabelou com Rony e bateu no canto direito sem chances de defesa para Cássio. O Corinthians ainda tentou. Mosquito, aos 40, foi derrubado na área por Danilo. Luan bateu o pênalti e acertou o travessão. No fim, após uma confusão na lateral, João Victor e Zé Rafael foram expulsos.

São Paulo 4 x 0 Mirassol

O favoritismo do São Paulo não assustou o Mirassol na largada do primeiro tempo. O time do interior fez frente ao Tricolor e tentou o ataque. Por alguns minutos, jogou e impôs problemas para o adversário jogar, mas foi o São Paulo quem esteve mais perto do gol.

Poderia ter aberto o placar em cruzamento de Benítez (ninguém conseguiu desviar), em chute forte de Gabriel Sara, em boa batida de Benítez, em desvio de cabeça de Miranda, em finalização de Reinaldo que foi afastada em cima da linha, em tentativa de bicicleta de Sara.

Mas a melhor oportunidade esteve na cabeça de Pablo. Aos 41, Sara cruzou da esquerda, e o atacante mandou para fora, livre. De tanto insistir, o gol acabou saindo aos 44. Benítez bateu escanteio, Muralha saiu mal e Arboleda desviou para dentro: 1×0.

O São Paulo não demorou para matar o jogo no segundo tempo. Aos 14 minutos, já estava 3 a 0. Pablo ampliou logo no começo da etapa, em chute torto que desviou no zagueiro Danilo Boza; e Gabriel Sara aumentou após mais um escanteio batido por Benítez (e com desvio de Miranda no meio do caminho). O Mirassol tentou reagir como pôde, mas não tinha o que fazer. O Tricolor, mais leve, seguiu em cima e chegou ao quarto gol com Luciano (que havia entrado no lugar de Pablo).

A impressão era de que a goleada seria ampliada, William chegou a marcar, mas Benítez estava impedido. No fim, ficou mesmo no 4×0, com um São Paulo forte chegando na decisão.

O que você tem achado das decisões dos estaduais? Conta pra gente!