Adenor Leonardo Bacchi, o Tite, completou cinco anos à frente da nossa Seleção em junho de 2021. Veja os destaques da trajetória do técnico e seus números.

Tite chegou à seleção em 2016, mas essa história poderia ter começado antes. Em 2014, seu nome já era um dos mais cotados para o cargo de técnico da Seleção – tanto na impressa quanto na torcida – mas Dunga foi o escolhido para comandar a seleção novamente. À época, o próprio Tite se manifestou:

Não sei o critério que foi feito.”

Tite sobre a escolha de Dunga para comandar a seleção por uma segunda vez após a Copa de 2014.

Mas, em 2016, o convite para que Tite assumisse a Seleção veio quando Dunga caiu após a vergonhosa eliminação do Brasil ainda na primeira fase da Copa América Centenário – o Brasil teve quatro pontos conquistados de nove possíveis em um grupo que tinha Peru, Ecuador e Haiti, um desempenho realmente muito abaixo do que esperávamos.

Copa da Rússia 2018

O caminho para chegarmos à Rússia se iniciou pouco mais de dois meses após Tite assumir o cargo de técnico da seleção brasileira. Em setembro de 2016 começaram as eliminatórias e o Brasil se classificou com folga. Foram 41 pontos de 54 possíveis (dez à frente do segundo colocado) e nenhuma derrota em jogos oficiais até a Copa. Saímos de campo derrotados somente no amistodo com a Argentina feito na Austrália, quando os hermanos venceram por 1×0.

Na Copa, depois do empate com a Suíça, o Brasil emplacou três vitórias por 2×0 e enfrentaria a Bélgica nas quartas de final. Infelizmente, a geração Belga, que hoje é uma das sensações da Euro 2020, eliminou nossa seleção com uma vitória por 2×1. Apesar das altas expectativas, a CBF decidiu bancar Tite no cargo pensando no projeto para a Copa de 2022, que será realizada no Qatar.

Copa América 2019

Brasil Campeão da Copa America contra o Peru no Maracanã jogadores  comemoram jogando o técnico Tite pra cima - Fotos Publicas

A Copa América de 2019, realizada no Brasil, foi o primeiro título que Tite conquistou. E a campanha não teve grandes sustos. Jogando em casa, passamos com a primeira colocação no Grupo A (que tinha Venezuela, Peru e Bolívia). Nas quartas, despachamos o Paraguai nos pênaltis – o momento mais complicado do torneio e, nas semis, batemos nossos hermanos por 2×0.

O Peru conseguiu a façanha de bater o Chile por 3×0 e chegar à final. Por mais que fosse uma seleção razoável, sabíamos que não seria páreo para o Brasil e deu a lógica. 3×1 para nós, com gols de Everton, Gabriel Jesus e Richarlison – para o Peru, Guerrero descontou.

Balançou, mas não caiu

Depois do título da Copa América, veio o período mais conturbado da era Tite na seleção Brasileira. O título foi conquistado em julho de 2019 e em setembro do mesmo ano a seleção voltou a entrar em campo para os amistosos preparatórios para as Eliminatórias da Copa de 2022. Até então, Tite tinha 42 partidas, duas derrotas e sete empates e 33 vitórias.

Mas nos seis amistosos, o Brasil acumulou 3 empates, duas derrotas e apenas o último deles, contra a Coreia do Sul, venceu por 3×0. Ainda é o maior jejum de vitórias da era Tite e, à época, o treindor foi bastante contestado. Entretando, as coisas mudaram depois que as eliminatórias de fato começaram.

Eliminatória Qatar 2022

Até agora, o Brasil tem 100% de aproveitamento nas eliminatórias. Mas, além de vencer, a seleção tem convencido. Nas seis partidas que fizeram, os comandados de Tite estão sobrando. São 16 gols marcados (média de quase três por jogo), apenas dois gols sofridos, cinco vitórias por mais de um gol de diferença. Não dá pra negar que a classificação está muito bem encaminhada, ainda que faltem 12 partidas.

Copa América 2021

Hoje acontece a terceira partida do Brasil pela polêmica Copa América, que seria sediada na Argentina e na Colômbia, mas que foi rejeitada por ambos os anfitriões por causa do avanço da pandemia (na Argentina) e por conta da forte crise política que atravessa a Colômbia.

Então, a CONMEBOL seguiu o precedente de agir exclusivamente em prol de seus interesses e trouxe a competição para o Brasil, onde há uma crise política em meio a uma gravíssima crise sanitária. Excelente, não?

Até agora, o Brasil segue tranquilo na competição. Estreamos contra a Venezuela e aplicamos um 3×0 incontestável. Contra o Peru, na segunda rodada, a goleada de 4×0 garantiu mais três pontos e manteve nossa seleção na liderança do grupo A. Hoje à noite, o Brasil enfrenta a Colômbia, que é a segunda colocada do grupo e pode assumir a liderança caso vença – apesar de isso ser pouquíssimo provável dada a diferença entre as seleções.

Desempenho geral

Tite treinador da seleção brasileira com uniforme de treinos da cbf

Tite, enquanto técnico da única seleção pentacampeã do mundo, acumula números impressionantes:

Jogos oficiais

  • 31 partidas
  • 26 vitórias
  • 04 empates
  • 01 derrota  

Jogos oficiais + jogos não oficiais

  • 56 jogos
  • 42 vitórias
  • 10 empates
  • 04 derrotas

Você acha que Tite vai se manter no comando da seleção após a Copa de 2022? Conte sua opinião nos comentários!