Com exceção de Flamengo e São Paulo, os times brasileiros que disputam a Libertadores 2020 estão em situação confortável e dependem só de si mesmos para chegarem às oitavas de final

FLAMENGO

Na terça-feira, o Flamengo pegou o lanterna Barcelona e conseguiu a vitória que precisava pra se recuperar da goleada que sofreu na semana passada. O rubro-negro venceu os donos da cara por 2×1, mas não foi muito superior.

Na verdade, o jogo foi bastante equilibrado como o próprio placar indica. Pedro abriu o placar aos 5 e o Arrascaeta ampliou aos 25. Aí o Barcelona começou a chegar e conseguiu um gol no início do segundo tempo. Até por volta dos 60 minutos, o Flamengo ainda era superior, mas depois disso, o time da casa cresceu e os comandados de Domenec Torrent tiveram que se segurar para não tomarem o gol de empate.

Melhores da partida: Arrascaeta (33,4pts) e Emmanuel Martínez (31,4).

SÃO PAULO

O São Paulo também jogou na terça e também jogou no Equador, mas não teve uma noite tão boa quanto a do Flamengo. O tricolor enfrentou a LDU, líder do grupo, e saiu de lá mais em crise do que chegou.

No primeiro tempo, o time da casa abriu 3×0 de vantagem e o São Paulo não tinha sequer acertado o gol ainda. No segundo tempo, a LDU tirou o pé e o técnico Fernando Diniz colocou um time bastante jovem pra jogar. A garotada até mostrou serviço – venceu o segundo tempo por 2×1 – mas o placar final foi 4×2.

Agora, o São Paulo é o terceiro do grupo e precisa vencer o River, lá na Argentina, se quiser ter alguma chance de classificação na última rodada.

Mitos da partida: Jhojan Julio (56,1 pts) e Diego (38,15).

ATHLETICO

Eram muitas as dúvidas sobre o Athletico Paranaense porque o time estava mal no Brasileirão. Mas até agora na retomada da Libertadores o time só teve vitórias.

Na reestreia, o Athletico ganhou do Jorge Wilstermann por 3×2 la na Bolívia e, na última quarta, ganhou do Colo Colo por 2×0. Foi um jogo bastante tranquilo. O Furacão abriu 2×0 antes dos 15 minutos e só administrou a vantagem depois disso.

Líder isolado com nove pontos, está praticamente classificado para as oitavas. Tudo que o Furacão precisa é um empate nos próximos dois jogos pra se garantir matematicamente no mata-mata.

GRENAL

Era o jogo mais esperado da rodada só por ser um Gre-Nal. Mas como todos os times do grupo estavam com pontuações parecidas, tanto Grêmio quanto Inter precisavam vencer pra encaminhar a classificação.

O jogo começou bastante truncado, mas por incrível que pareça, teve poucas faltas. O problema é que os times deixaram a desejar na criação também: foram só 4 finalizações certas, e 1 grande chance criada – de onde saiu o gol do Pepê, aos 71 minutos.

Os times gaúchos seguem dividindo a liderança do grupo E com sete pontos. Mas América de Cali e Universidad Católica tem 4 pontos, então absolutamente qualquer coisa pode acontecer, já que faltam duas rodadas.

PALMEIRAS

O Palmeiras foi até o Paraguai para jogar contra o Guarani e os dois times tiveram um desempenho médio. Ninguém sofreu muito nem criou muito. E isso se refletiu no placar, já que foi o único jogo da rodada que não teve gols. 

Com o 0x0, o Palmeiras perdeu o 100% de aproveitamento, mas ainda é líder com 10 pontos e está na mesma situação do Atlético Paranaense: só precisa de um empate pra se garantir nas oitavas.

SANTOS

O Peixe foi até o Equador enfrentar o Delfin e voltou com sua terceira vitória nessa fase de grupos. Marinho abriu o placar aos 18 minutos – que fase sensacional, hein? – e o Delfin perdeu Carlos Rodrigues, expulso no fim da primeira etapa, de uma forma curiosa: o jogador foi amarelado por um carrinho violento aos 39′ e, dois minutos depois, aos 41, acertou o cotovelo em Kaio Jorge.

Com um a menos, o jogo deveria ter ficado mais fácil para o Santos, certo? Errado. O Delfin conseguiu buscar o empate faltando 15 minutos para o fim do jogo e coube a Jean Mota recolocar o Peixe à frente do placar aos 81′.

Curte a Libertadores? Já pensou em ganhar dinheiro com ela? Escale seu time no SPM 365 e concorra a prêmios!