As colisões de cabeça no futebol são relativamente comuns, visto que é um esporte de contato. Porém, muitas vezes esses incidentes podem ser perigosos, por isso pede uma mudança de conduta da FIFA.

Na última semana, o goleiro Douglas do Bahia, foi atingido no rosto pelo zagueiro do Vasco, Leandro Castan, que acabou sendo expulso da partida. Apesar da forte cena, o goleiro está bem, “sem suspeita de fratura ou uma lesão mais grave”, tranquilizou o médico tricolor pelas redes sociais do clube baiano.

Escale sua equipe no SPM 365

A situação traz à tona a discussão sobre concussão, um dos temas mais debatidos pelo futebol já em 2021. A exemplo da Premier League que adotará o novo protocolo para choques de cabeças a partir do próximo sábado, 6 de fevereiro, a CBF (Confederação Brasileira de Futebol) seguirá o mesmo caminho.

Essa mudança tem como como objetivo: “enviar uma mensagem forte de que, em caso de dúvida, o jogador deve ser retirado; evitar que um jogador sofra outra concussão durante a partida, pois vários incidentes com ferimentos na cabeça podem ter consequências muito graves; reduzir a pressão sobre as equipes médicas para fazer uma avaliação rápida; e estabelecer um procedimento simples que pode ser aplicado em todos os níveis do jogo”.

O protocolo de concussão foi aprovado pela International Football Association Board (IFAB), órgão regulador das regras do futebol, em dezembro de 2020. Segundo a FIFA, a medida pretende “priorizar o bem-estar dos jogadores” ao evitar duas concussões seguidas dos atletas e reduzir a pressão sobre a comissão técnica no momento da avaliação.

Na prática: caso um jogador sofra um choque de cabeça e seja constatado concussão, através dos testes realizados pela equipe médica, o clube poderá fazer uma substituição extra, mesmo se já tiver feito o número máximo de trocas ao longo da partida. No Mundial de Clubes, a nova regra da entidade máxima de futebol está valendo.

Relembre alguns casos

Por mais que essa lesão não ocorra com tanta frequência, é perigosa e alguns atletas já chegaram a perder a consciência em campo, como por exemplo o lance entre Hernanes e Lucas Pratto, do São Paulo, em 2017 e a jogada do goleiro flamenguista, Felipe em 2012.

Lucas Pratto caiu desacordado em campo após levar uma joelhada do companheiro Hernanes em uma disputa de bola na entrada da área tricolor. O lance aconteceu aos 22 minutos do primeiro tempo. Em uma disputa pela bola, Hernanes acabou acertando o joelho na cabeça do argentino, que caiu no gramado desmaiado e vomitando.

Com Felipe, a lesão veio resultado de um cruzamento rasteiro. O goleiro se atirou para pegar a bola, enquanto o atacante Gilcimar também tentava alcançar o lance. Os dois se chocaram e Felipe acabou levando a pior, já que o joelho do jogador do Duque de Caxias atingiu sua cabeça.

A decisão da IFAB e da FIFA de mudar as regras é um caminho para proteger a saúde dos atletas, mas é só o começo. É preciso mais.

O que você acha dessa nova regras? Conta pra gente! Não esqueça de escalar seu time no SPM 365!