Itália sufocada, zebra na Holanda e Portugal fora. Veja os destaques dos primeiros jogos das oitavas de final da Euro 2020.

Gales 0x4 Dinamarca

No primeiro confronto das oitavas da Euro 2020, venceu quem tinha boas lembranças do dia 26 de junho. Em 92, nessa mesma data, a Dinamarca – ou já podemos sonhar e chamar de Dinamáquina? – vencia a Alemanha e consolidava uma das maiores zebras da história da Euro, como a gente já contou aqui no blog.

A Dinamarca teve mais volume de jogo praticamente durante toda a partida, mas a primeira etapa foi bem mais equilibrada que a segunda. Aos 26′, Kasper Dolberg abriu o marcador em um chute indefensável da entrada da área. O jogo ainda não estava definido, já que Gales, apesar de inferior, dependia de apenas uma bola para tornar tudo igual novamente. Entretanto, no comecinho do segundo tempo, de novo Kasper Dolberg, aos 48′, aproveitou que a zaga galesa afastou mal uma jogada de Braithwaite e aumentou para 2×0. Nesse momento, a seleção de Gales sentiu o golpe e praticamente não reagiu – tanto que não acertou uma finalização sequer na etapa complemente.

Ainda deu tempo de Joakim Mæhle (aos 88′) e Braithwaite (aos 94′) ampliarem a vantagem dinamarquesa.

Itália 2×1 Áustria

Esse foi o grande jogo do final de semana, daquelas partidas que não te permitem desgrudar o olho da TV porque a qualquer momento pode acontecer um lance que muda todo o rumo da disputa. Na expectativa para as oitavas, falamos sobre como apenas um milagre poderia classificar a Áustria. E esse milagre quase aconteceu – bom para quem assistiu ao jogo!

A Itália dominou no tempo normal, mas o jogo como um todo foi pouco movimentado. Immobile acertou o ângulo aos 31 minutos, mas a bola beijou a trave e saiu pela linha de fundo. Depois disso, o ápice foi o gol da Áustria aos 21′ do segundo tempo, que colocaria a Itália em maus lençóis. “Colocaria” porque, depois da checagem do VAR, o gol foi anulado por causa da posição irregular de Arnautovic.

Na prorrogação, Chiesa achou um gol aos 5′ minutos depois de um falha grotesta da defesa austríaca, que deixou o lado direito do ataque italiano bastante livre. Chiesa dominou com o rosto, tirou Konrad da jogada e encheu o pé para estufar as redes. Com o gol, ele e seu pai Enrico se tornaram a primeira dupla de pai e filho a anotarem gols na Euro. O segundo da Itália veio de Matteo Pessina, que, assim como Chiesa, saiu do banco para balançar as redes. Depois de um bate rebate na área, o italiano conseguiu driblar um marcador e finalizar da entrada da pequena área.

Na volta do intervalo do tempo extra, a Áustria foi para o tudo ou nada. Aos 25 segundos, Donnaruma foi obrigado a fazer uma defesa espetacular depois de uma bomba de Schaub. Mas aos oito minutos, o goleiro recem contratado pelo PSG nada pode fazer. Schaub bateu escanteio fechado à meia altura e Saša Kalajdžic raspou de peixinho. A bola entrou no único espaço que poderia e deu esperança aos austríacos.

O placar ficou mesmo em 2×1, mas a Áustria sai de cabeça erguida depois de chegar pela primeira vez ao mata-mata da Euro e cobrar caro da Itália, uma das candidatas ao título, uma classificação para as quartas.

Holanda 0x2 República Tcheca

time chegou sob desconfiança para a Euro 2020, mas o 100% de aproveitamento na fase de grupos logo foi suficiente para mostrar o potencial da equipe. A Holanda não só venceu, mas convenceu também.

Mas a zebra resolveu aparecer justamente nesse duelo. Nos primeiros 45′, o neerdelandeses tiveram mais volume de jogo, produziram mais que o adversário – embora não tenham acertado o gol em nenhuma finalização. Mas, na segunda etapa, a expulsão de De Ligt aos 55′ mudou completamente o panorama da partida e a Holanda perdeu a superioridade.

Holes e Schick, aos 68′ e 80′ respectivamente, fizeram os gols que colocaram a República Tcheca nas oitavas. Há quem diga, com alguma razão, devo concordar, que a Holanda foi o maior cavalo paraguaio da Euro 2020.

Bélgica 1×0 Portugal

Foi um pecado essa partida ter acontecido logo nas oitavas. Duas seleções com possibilidade de estar entre as quatro melhores e com jogadores do nível de Lukaku, Kevin De Bruyne e Cristiano Ronaldo não deveriam se enfrentar tão cedo. Mas não tinha como fugir.

Muita expectativa se criou sobre esse duelo, já que envolvia alguns dos principais jogadores da Euro 2020. Mas, no fim das contas, não vimos uma partida com ataques inspirados e muitos lances emocionantes. Na verdade, foi o contrário. Ambas as seleções se estudaram muito e ousaram pouco, de modo que a bola acabou passando a maior parte do tempo nas intermediárias.

O gol do jogo veio dos pés de Thorgan Hazard. E que gol. Em um jogo sem muitos ataques promissores, arriscar de longe acaba sendo uma ótima alternativa e foi assim que Rui Patrício foi vencido. Em uma das descidas da Bélgica, Hazard viu uma brecha e acertou uma pancada de três dedos difícil de defender por causa da curva que a bola fez. Pela câmera que estava atrás do meia-atacante belga, é possível ver que Rui Patricio esperava um chute no canto direito e, depois viu que a bola entraria à sua esquerda. Mas era tarde.

Assim, acabou o sonho de CR7 de ganhar seu terceiro título pela seleção portuguesa – e seu segundo troféu consecutivo da Eurocopa.

Para você, quem vai ser o grande campeão da Euro 2020? Conte nos comentários!