Em 1974, depois de um campeonato com 40 times e três fases diferentes, o Vasco conseguiu conquistar seu primeiro Campeonato Brasileiro.

Formato

Assim como no ano anterior, o campeonato foi dividido em três fases. Na primeira, havia dois grupos com vintes clubes em cada uma delas e os classificados eram: os dez melhores de cada grupo, os dois melhores fora da zona de classificação (independente da chave) e os dois não classificados com melhores índices de arrecadação e público.

Ja ná segunda fase, foram seis grupos com quatro equipes cada e apenas o campeão de cada grupo avançaria na competição.

A terceira fase seria um quadrangular em que os quatro times sobreviventes se enfrentaram em turno único e o de melhor pontuação (considerando somente os jogos dessa fase) levaria o título para casa.

Quandragular Final

Cruzeiro, Vasco da Gama, Santos e Internacional foram os times restantes depois das duas primeiras fases. Na primeira rodada, o Vasco saiu na frente com uma vitória por 2×1 sobre o Santos, enquanto o Inter recebeu o Cruzeiro e empatou em 1×1.

Na segunda rodada, Cruzeiro e Vasco empataram por 1×1 em Belo Horizonte e o Santos bateu o Inter por 2×1 no Morumbi. Assim, na terceira rodada, a disputa ainda estava bem aberta: o Vasco era o líder com três pontos, mas tanto Cruzeiro quanto Santos, que tinham dois, poderiam alcançá-lo em número de pontos e forçar o desempate em um jogo extra.

O Cruzeiro venceu o Santos na rodada derradeira e chegou aos quatro pontos. O Vasco saiu de campo com um empate diante do Inter (2×2) e avançou também para a casa dos quatro pontos. Assim, o jogo extra seria necessário para definir o campeão daquele ano.

Onde seria o jogo decisivo?

No campeonato todo, o Cruzeiro teve uma campanha melhor e, por isso, mandaria o jogo extra que decidiria o título. Entretanto, um artigo do campeonato previa que em caso de agressão (ou tentativa), o time ao qual o agressor estivesse vinculado perderia os próximos três mandos de campo.

E aí veio uma virada de mesa inesperada. Quando Cruzeiro e Vasco se enfrentaram na segunda rodada, um dos dirigentes celestes tentou agredir o árbitro por não assinalar uma suposta penalidade em Palhinha. Mesmo a regra não tendo sido aplicada em outras oportunidades, o Vasco fez valer o seu direito e conseguiu a transferência do jogo para o Maracanã.

O jogo começou bastante pareado com os dois times buscando trabalhar a bola para chegar ao gol. O Vasco saiu na frente aos 14′, com gol de Ademir e até marcou novamente com Jorginho, mas o bandeira anulou o gol por impedimento. Na segunda etapa, o clima ficou mais quente por conta dos lances polêmicos e o jogo perdeu qualidade, mas o Cruzeiro consegui achar um gol com Nelinho aos 19′.

O placar ficou empatado até que Jorginho Carvoeiro recolocou os cruzmaltino na frente. A raposa ainda conseguiu empatar em seguida, mas, mais uma vez, o gol foi anulado por impedimento. Sem acréscimos, o árbitro encerrou a partida e essa final ficou marcada pela polêmica tanto pré-jogo quanto pós-jogo.

Mas o Vasco não quis saber e foi comemorar com a sua torcida a entrada para o rol dos campeões nacionais.

Cadastre-se grátis no SPM365