Na próxima sexta, dia 11 de junho, começa a Eurocopa 2020 (ou seria 2021?), um dos torneios mais tradicionais do futebol internacional. Conheça a história desse campeonato de altíssimo nível!

Infelizmente, a Euro 2020 foi umas das competições afetadas pela pandemia de covid-19 e teve de ser adiada para 2021. Finalmente, a espera está perto do fim e falta pouquíssimo para vermos o torneio com as melhores seleções do planeta em campo. A ansiedade era tanta que no fim de 2019 já estávamos falando sobre as expectativas para a Euro 2020.

Onde tudo começou

A primeira edição da Eurocopa aconteceu em 1960, na França, e sequer se chamava Eurocopa. Na verdade, o torneio levou o nome de Copa das Nações Europeias e seu formato era bastante diferente do atual.

Foram apenas 17 times inscritos nas qualificatórias com algumas das principais seleções do continente de fora – como Alemanha Ocidental, Itália e Inglaterra. No sistema de mata-mata, as equipes jogavam em casa e fora até restarem apenas quatro sobreviventes, que disputariam, de fato, a Copa das Nações Europeias.

Após a etapa de qualificação, a Espanha se retirou da competição porque o ditador Francisco Franco não autorizou que o time viajasse até a União Soviética para enfrentar os donos da casa. Por isso, no quadrangular final, havia três países do leste europeu – uma situação que jamais se repetiu em qualquer outra edição. Os soviéticos sagraram-se campeões depois de bater a Tchecoslováquia por 3×0 nas semis e vencer a Iugoslávia por 2×1.

Edições seguintes

Em 1964, a Euro foi sediada pela Espanha e o número de times nas qualificatórias subiu para 29. E as disputas políticas continuaram refletindo dentro de campo: a Grécia estava em guerra com a Albânia e, depois do empate entre as duas seleções, os gregos se retiraram da competição. Isso sem mencionar a ausência da Alemanha Ocidental mais uma vez.

Seleções Imortais - Espanha 1964 - Imortais do Futebol
Seleção da Espanha, na Eurocopa de 1964, com uniforme azul, bem diferente do tradicional vermelho e amarelo dos dias de hoje

Naquele ano a Espanha fazia a sua estreia pela Copa das Nações Europeias (na edição anterior, a seleção tinha se retirado da competição ainda na fase de qualificação) e não decepcionou a sua torcida. Depois de bater a Hungria nas semis em um jogo que só foi decidido na prorrogação, o Santiago Bernabeu com quase 80 mil pessoa viu Pereda e Marcelino garantirem o primeiro troféu da Eurocopa para os espanhois.

Expansão para 8 seleções

Em 1980, a Eurocopa passou pela sua primeira expansão. De quatro, as qualificatórias passaram a garantir oito seleções na Eurocopa, que foram divididas em dois grupos iguais. Entretanto, essa foi a primeira edição da Euro em que o país sede já estava garantido na fase final. Por isso, as 32 seleções filiadas à UEFA se degladiaram em campo até que restassem apenas sete equipes, que se juntaram à anfitriã Itália.

Seleção da Alemanha campeã da Eurocopa de 1980
Seleção da Alemanha campeã da Eurocopa de 1980

As seleções disputariam a liderança do grupo jogando uma vez com cada adversário do próprio grupo e os primeiros colocados disputariam a final. O terceiro lugar seria disputado pelas segundas melhores equipes de cada grupo. Ao final, quem levantou a taça foi a Alemanha Ocidental, depois de vencer a Bélgica por 2×1.

Expansão para 16 seleções

Seleção da Alemanha campeã da Euro 96
Seleção da Alemanha campeã da Euro 1996

Em 1996, a Eurocopa passou a adotar o nome que conhecemos hoje (Euro + ano da edição). E foi nesse ano também que a competição passou a receber 16 equipes das qualificatórias, dobrando o número de participantes.

A anfitriã era a Inglaterra e a seleção da casa acabou caindo para a Alemanha nos pênaltis depois de um empate por 1×1 no tempo regulamentar da semi. Na grande decisão, os alemães bateram a recém-formada República Tcheca por 2×1 e conquistaram o primeiro título da terra do chucrute após a unificação. Além disso, esse título ficou marcado por ter sido conquistado com o finado gol de ouro – o primeiro a ser marcado em um torneio relevante.

Expansão para 24 seleções

A proposta de expansão da Euro para 24 equipes veio das federações Irlandesa e Escocesa. Apesar da resistência de países relevantes (Alemanha e Inglaterra), o Comitê Executivo da UEFA aprovou a proposta em 2010, mas ela só valeria a partir de 2016, a 15ª edição da Euro.

E o roteiro da Euro de 2016 não teve de inédito só o número de equipes participantes. Depois da primeira fase, que tinha seis grupos com quatro times cada, os dois melhores de cada grupo se classificaram para as oitavas, juntamente com os quatro melhores terceiros colocados.

Portugal, que estava no fraco grupo F (Hungria, Islândia e Áustria), se classificou por pouco. Conquistou apenas três pontos e foi o terceiro melhor terceiro colocado. Os amigos do Cristiano Ronaldo avançaram porque tiveram saldo de gols zero, enquanto Turquia e Albânia (os terceiros colocados eliminados) tiveram saldo -2.

No mata-mata, os portugueses enfrentaram adversários que não eram favoritos ao título, mas que deram bastante trabalho. Nas oitavas, a Polônia levou o jogo para os pênaltis. Na semi contra Gales, a vitória veio no tempo normal com participação de Cristiano Ronaldo nos dois gols da partida, mas os galeses começaram bem melhores.

Na final, o adversário era a anfitriã e mais do que favorita França. Com a bola rolando, os franceses claramente tiveram mais volume de jogo no tempo normal. Mais chegadas perigosas, bola na trave e Portugal perdeu CR7 aos 25′, que saiu lesionado.

A partida se desenhava para dar à França o seu tri da Euro. Mas na prorrogação, em um chute de média distância, Eder surpreendeu a defesa francesa e guardou no cantinho de Llori. Com menos de três minutos para o fim do tempo extra, a França não conseguiu igualar o placar e foi derrotada em casa.

Quem você acha que vai levar o título da Euro 2021? Conte nos comentários e escale seu time com a gente!

banner_spm365