A Libertadores já está quase chegando na sua fase de mata-mata. Confira o desempenho dos clubes brasileiros na última rodada!

Ontem quatro times brasileiros disputaram a quinta rodada da fase de grupos da Libertadores. Para decepção das torcidas, nenhum deles conseguiu alcançar a vitória. O Palmeiras foi derrotado em casa pelo Defensa y Justicia, em um jogo com 7 gols. Já o Santos perdeu por 2×1 assim como o Fluminense. O São Paulo também levou a pior e foi vencido pelo Racing pelo placar mínimo.

Palmeiras 3 x 4 Defensa y Justicia

Já garantido na primeira colocação do grupo A, o Palmeiras foi derrotado por 4×3 pelo Defensa y Justicia, no Allianz Parque, pela quinta rodada de sua chave.

Nos primeiros 45 minutos, as duas equipes foram extremamente eficientes em campo. Cada time chegou com perigo duas vezes, mandando para as redes em todas as oportunidades. Quem abriu o placar foi o Defensa y Justicia no Allianz. Aos nove minutos, os visitantes bateram escanteio pela esquerda, e Zé Rafael não conseguiu cortar a bola, que ficou para Walter Bou. O atacante dominou e finalizou forte para marcar.

No minuto seguinte, o Verdão já deixou tudo igual. Em falta pela esquerda, Scarpa mandou para dentro da área, a bola passou por todo mundo e encontrou Zé Rafael, que apenas completou para o gol.

Aos 26′, Bou marcou o seu segundo no jogo. Rotondi passou e fez cruzamento para o centroavante, que desviou de cabeça para as redes. Mesmo com dificuldade para criar, o Palmeiras chegou ao empate aos 34. Após a equipe recuperar a posse no campo de ataque, Zé Rafael mandou para Willian, que invadiu a área, chutou e contou com um desvio do defensor para marcar.

Logo no retorno do intervalo, o Defensa conseguiu marcar o terceiro, com um bate e rebate dentro da área, a bola ficou para Matías Rodríguez, que encheu o pé para colocar os argentinos à frente.

Aos 29′, Scarpa fez um golaço após cruzamento de Vinã para deixar tudo igual. Aos 44, Vanderlan recebeu o segundo cartão amarelo e foi expulso, logo em seguida, Braian Romero aproveitou cruzamento para dentro da área e cabeceou firme para dar a vitória para os visitantes.

The Strongest 2 x 1 Santos

O Santos perdeu para o The Strongest, por 2×1 em La Paz, na Bolívia, e dificultou sua vida na competição. O Santos começou a partida em cima do The Strongest. E chegou duas vezes bem ao ataque. Logo na sequência, porém, o time boliviano, mais adaptado à altitude, aos 15 chegou ao gol com Reinoso.

Três minutos depois, Jean Mota, em cobrança de falta, obrigou Vaca a grande defesa. Do outro lado, João Paulo também salvou, após outra tentativa de Reinoso. Mas o goleiro não teve o que fazer aos 22, após chute de Willie da entrada da área. O The Strongest aumentou a vantagem. 

No recomeço da partida, baixa no time de La Paz. Castillo fez falta em Kaio Jorge, levou os segundo amarelo e foi expulso de campo. O Peixe cresceu um pouco por conta da vantagem numérica, mas parou no arqueiro. O Santos ainda chegou de novo com Jean Mota, com Ângelo, mas sem sucesso. Fechado na defesa e com um a menos, o The Strongest conseguiu conter uma tentativa de reação e ainda quase chegou ao terceiro gol na reta final da etapa.

Logo nos primeiros lances da etapa final, o The Strongest assustou em chute de Ramiro Vaca, defendido por João Paulo. A resposta do Santos veio aos sete minutos em um cabeceio de Kaio Jorge. Aproveitando a vantagem no número de jogador, apesar da altitude, o Peixe conseguiu iniciar uma reação aos 19′. Após escanteio cobrado por Jean Mota, Felipe Jonatan aproveitou a sobra, fora da área, dominou no peito e acertou lindo chute, marcando um golaço.

Depois do gol, o Santos foi pra cima e teve boas oportunidades, porém não conseguiu converter. Sem conseguir o empate, o time passou a ficar nervoso e não conseguiu reagir. Agora o time pode depender de combinação de resultados para classificar às oitavas de final da competição. 

São Paulo 0 x 1 Racing

O São Paulo começou melhor e levou perigo logo aos dez minutos de jogo, quando Igor Gomes desviou cruzamento e viu o goleiro Arias salvar com o pé. Depois desta primeira chance, porém, o time não conseguiu mais assustar o Racing no primeiro tempo.

Os ataques de ambos os times tinham dificuldade para criar boas situações. Até que, aos 27, num cochilo da defesa são-paulina, o time argentino soube aproveitar para abrir o placar, com Novillo. Livre na área, ele aproveitou cruzamento e mandou de cabeça para o fundo da rede de Tiago Volpi, um dos poucos atletas do time principal de Crespo mandados a campo.

A etapa final começou mais agitada. Orban marcou de cabeça, mas estava muito impedido e o gol foi anulado corretamente. Em seguida, Galeano disputou bola com Segovia e ficou reclamando de pênalti duvidoso, a bola sobrou para Vitor Bueno, que também caiu na área após trombar com Segovia. O árbitro, por sua vez, mandou o jogo seguir nos dois lances.

Em busca do empate, Hernán Crespo fez três substituições aos 15 minutos, sendo dois jogadores titulares. Recuperado de lesão, Daniel Alves entrou na vaga de Orejuela. Luciano foi acionado no lugar de Vitor Bueno. Para completar, Shaylon, que vem ganhando a confiança do técnico, assumiu a posição de William.

As mudanças de Crespo melhoraram a equipe. Os três, inclusive, participaram de um bom lance que quase resultado no empate. O São Paulo também teve um gol anulado corretamente por impedimento. Aos 34, Welington cruzou e Daniel Alves cabeceou para o fundo da rede, mas estava bem adiantado.

O segundo tempo foi todo do São Paulo. Apesar de não ter sido brilhante, o Tricolor ficou mais com a bola e rondou a área adversária. No entanto, não conseguiu o empate e sofreu sua primeira derrota nesta Libertadores.

Fluminense 1 x 2 Junior Barranquilla

O Fluminense foi derrotado pelo Junior Barranquilla por 2×1, no Maracanã, e perdeu a invencibilidade no Grupo D. O tricolor teve as chances mais claras de gol, mas quem saiu na frente no primeiro tempo foi o Junior Barranquilla.

A primeira grande oportunidade do Tricolor veio logo aos 2′, mas acabou sendo desperdiçada. O time colombiano respondeu no minuto seguinte em chute forte de fora que assustou.

Após período de domínio do rival, o Flu voltou ameaçar aos 27 e, justamente quando vivia melhor momento no jogo, o time de Roger viu o Junior chegar ao gol. Aos 34, a marcação cochilou e deixou Fuentes livre que cruzou na medida para Valencia cabecear para o fundo das redes.

As coisas se complicaram ainda mais para o Fluminense logo no início da segunda etapa. Aos 4, Cetré recebeu livre na entrada da área, o meia teve tempo de dominar, ajeitar e chutar colocado na trave esquerda de Marcos Felipe: 2×0.

O Tricolor seguiu apático e Roger Machado resolveu dar sangue novo colocando de Nenê, Gabriel Teixeira e Caio Paulista em um primeiro momento, e depois Abel Hernández. As medidas deram novo ânimo ao time e aos 29 o Flu descontou: Abel recebeu e estufou as redes.

Com o placar mais apertado, o Junior passou a fazer cera para segurar a vitória. Com Bobadilla no lugar de Martinelli, o Fluminense foi para o tudo ou nada, mas não conseguiu ter uma chance clara de igualar o marcador.

Quem você acha que se classifica? Conta pra gente e não se esqueça de escalar seu time no SPM 365!